Quebradeiras de Côco Babaçu recebem qualificação em Campo Largo do Piauí

A Secretaria Municipal de Meio Ambiente em parceira com a Secretaria Municipal de Agricultura da cidade de Campo Largo do Piauí, realizou evento de conscientização ecológica com as quebradeiras de Côco Babaçu da Localidade São João / Tanquinho.

Dentre as pautas foram debatidos assuntos sobre a importância da preservação ambiente e do correto manejo do extrativismo do babaçu.

Na oportunidade, também foi comemorado, o 05 de maio, referente ao dia do Campo no município de Campo Largo do Piauí. Juntamente com a Prefeitura, Secretaria de meio ambiente e secretaria de agricultura, além do apoio do sindicado dos trabalhadores rurais. Promovendo e incentivando as quebradeiras de côco babaçu.

Benefícios, performance e eficiência.

Babaçu é o nome genérico dado às palmeiras oleaginosas pertencentes à família Palmacea e integrantes dos gêneros Attalea e Orbignya. A palmeira do coco babaçu alcança entre 10-30 metros de altura e pode atingir a produção plena após 15 anos. Os frutos produzidos são extremamente apreciados, por todo Brasil, tanto pela fauna silvestre, quanto pelos humanos. Os frutos dão em cachos, em média 3 a 5 por cada safra, com 300 a 500 cocos cada um.

As quebradeiras de Côco babaçu da comunidade São João, receberam na oportunidade orientação sobre a coleta dos frutos que ocorre de maneira natural, sem agredir o meio ambiente ou danificar a árvore. No tempo de maturação, os frutos maduros começam a cair no chão. Um tipo de manejo comum e sustentável envolve a concentração, em áreas degradadas ou com baixa densidade, de palmeiras a partir de mudas de palmeiras produtivas, com a separação de seus cocos maduros e de boa qualidade, para serem espalhados pela área em questão.

A partir dessa coleta, os cocos devem ser abertos para a retirada das amêndoas. A forma mais tradicional é a quebra do fruto, realizada por mulheres das regiões produtoras, chamadas de quebradeiras de coco babaçu, nos próprios campos, chamados de babaçuais.

A organização social das quebradeiras de coco de Campo Largo passou a constituir um fator diferencial para a continuidade da produção extrativista, já que isso caracteriza uma fonte de renda em locais com difícil acesso a outras fontes. Além disso, a terra e os babaçuais são considerados recursos de uso comum, incentivando a agricultura familiar e o manejo sustentável desse recurso, como acessório à outras atividades, como pecuária e outros plantios.

Outro grande aspecto interessante para incentivo da utilização do óleo de babaçu, em relação à sustentabilidade e geração de oportunidades na sua produção, é o completo aproveitamento dos seus frutos e folhas. Suas folhas são utilizadas na armação de cobertas para casa; as fibras das folhas são utilizadas para produzir produtos artesanais.

Já com relação ao fruto, a camada externa do coco, chamada de epicarpo, é fibrosa, podendo compor adubos orgânicos, estofados de bancos de carros, vasos, e inclusive substituir isopor em embalagens. O mesocarpo logo abaixo, rico em amido, é muito interessante para a indústria alimentícia, enquanto o endocarpo pode ser utilizado no lugar da lenha, como combustível.